Blog

Geral
Compartilhar:

Pedro Reginato: Uma história de dedicação e conquistas

Algumas coisas fazem a diferença na vida de uma pessoa, ou mesmo de toda uma instituição. Esses últimos dias foram testemunhos disso, tanto para um de nossos alunos como para toda a comunidade do Colégio Universitário. 

No último dia 29 de março, o Inep - Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, divulgou as médias e notas máximas e mínimas do ENEM 2020. Um de nossos alunos, Pedro Reginato, ficou entre as maiores notas registradas no país em matemática e também em redação, entre milhões de estudantes inscritos. 

As notas do Pedro, em todas as provas, ficaram sempre significativamente acima da média registrada na edição do Enem. Em matemática, a média nacional ficou em 520,73. A nota máxima atingida, considerando todo país, foi 975,00 e Pedro Reginato atingiu 959,90, muito próxima à nota máxima. Em redação, enquanto a média foi 588,74, Pedro pontuou 980,00, bem próximo também da nota máxima, que foi 1000,0. 

Há uma história de dedicação em torno dessa conquista. Quando chegou a Londrina, vindo de Joinville com a família, Pedro deveria fazer o 5º ano do fundamental, mas tinha dificuldade em se adaptar aqui e a família cogitava voltar para Joinville. Foi quando começou a história dele com nosso Colégio.

“Entrei no Universitário. O professor Edmilson era o coordenador na época e ele acolheu a mim e a meu irmão de uma maneira que a gente adorou. Venho desde então com a mesma turma e a gente se entende. São pessoas muito abertas”, conta Pedro. 

Desde o 8º ano Pedro tomou para si a decisão de fazer o vestibular para um curso bem concorrido, a Medicina, junto com a consciência de que o empenho seria árduo. A partir da 1ª série do ensino médio o foco nos estudos cresceu e o tempo dedicado foi sendo reforçado com uma rotina que consumia três horas diárias de estudo. Na 2º série passou para cinco a seis horas de estudo diárias e na 3ª série, entre aulas e estudo individual, ampliou ainda mais a sua dedicação. Com a ressalva enfática dele de que em todos os anos procurou manter atividades esportivas e convívio social “para manter a saúde física e mental, dando uma desestressada!”

O estudo é antes de tudo um trabalho e uma conquista, verdade de que Pedro é um exemplo. De matemática, desde o 6º ano do Fundamental ele percebeu que gostava e se dava bem com ela. Mas em relação à Redação, Pedro diz que a história era bem diferente. “Para mim, escrever uma redação era uma coisa nova, tinha que ter repertório sociocultural, visão social, entender como funcionavam os problemas e desenrolar um tema ali, na hora”. No primeiro ano do ensino médio, Pedro tirou 580 na redação no Enem. “Vi que não estava preparado”, ele conta, mas viu também que precisava melhorar para chegar onde queria.

Elaborando uma redação a cada semana, redobrando a atenção às aulas de filosofia, sociologia e literatura para enriquecer o repertório, Pedro viu que foi incorporando palavras, entendendo a lógica da escrita, analisando as redações notas 1.000 dos vestibulares e se soltando e desenvolvendo a habilidade de criar textos. “Percebi que as matérias caminhavam juntas. Minhas redações sempre citavam sociólogos e filósofos e eu desenvolvia os temas em torno de seus pensamentos. Foi fundamental para crescer minha nota.”

O Universitário se tornou uma comunidade na vida do estudante. “Desde que entrei, no 6º ano, estamos com a mesma turma e a escola é sensacional. O apoio nas matérias em que não estamos bem é muito bom e o apoio socioemocional também”. 

Em relação ao ano de pandemia, Pedro diz que o Colégio foi decisivo: “Uma semana depois de iniciar a quarentena a escola já havia se desdobrado em providenciar aulas online e realizar acompanhamento junto aos alunos. Também foi muito sensível em nos ouvir e discutir caminhos conosco, suspendendo provas para nos concentrarmos em simulados. Isso melhorou nosso rendimento”.

Tendo pela frente os caminhos abertos para a universidade, fruto de um grande empenho seu, Pedro diz, sobre o Colégio: “O Universitário foi uma escola acolhedora para mim desde o início, e vai ficar sempre no meu coração.” 

Você vai também estar no coração do Universitário, Pedro Reginato. Seja feliz em seu voo!