Blog

Geral
Compartilhar:

Educação Bilíngue: muito além do domínio do segundo idioma

A educação bilíngue já é uma realidade no Brasil. Segundo dados do Ministério da Educação (MEC), as escolas bilíngues já representam 3% dos mais de 40 mil colégios particulares no país. Estima-se que 1200 instituições de ensino trabalham neste segmento. O destaque é que, em 2019, o setor apresentou um crescimento de 10%.
Entender esta realidade é fundamental para compreender as diferenças do ensino regular e do ensino bilíngue, principalmente, na Educação Infantil. Já há muito tempo, o inglês faz parte do dia a dia das grandes empresas e, cada vez mais, deixa de ser visto como um diferencial para ser algo básico.
Além disso, o mercado de trabalho está em constante mudança. De acordo com estudos da consultoria ManpowerGroup, 65% dos empregos que as pessoas nascidas entre 1998 e 2010 terão, ainda não existem. Afinal, em um mundo cada vez mais globalizado e tecnológico, alguns conhecimentos e habilidades são necessários para se adaptar às mudanças.
Estas características fundamentais para o que vivemos hoje são divididas em três grandes categorias: cognitivas, interpessoais e intrapessoais.
O Ensino bilíngue no Universitário
O Colégio Universitário reconhece o seu papel fundamental no desenvolvimento destas competências. Dar protagonismo e proporcionar crescimento aos seus alunos é a missão da Escola.
Compreender e falar outra língua é imprescindível para conquistar melhores oportunidades de estudo e de trabalho, mas a Educação Bilíngue vai além da possibilidade deste aprendizado. Ela colabora com o desenvolvimento emocional e cognitivo dos alunos.
O Colégio Universitário oferece um programa bilíngue, no qual seus alunos, da Educação Infantil ao 9º Ano do Ensino Fundamental, têm contato com a língua inglesa diariamente. A Instituição utiliza o material didático da Oxford e trabalha com uma equipe de professores bastante engajada.
Para desenvolver o programa, os múltiplos espaços da Escola são utilizados. A maior parte das atividades são realizadas fora da sala de aula. Os educandos aprendem na UniFazendinha, no Campo Verde, Sala Maker, Espaço da Psicomotricidade, Biblioteca e em todos os ambientes da Instituição.
Por tudo isso, no ensino bilíngue do Universitário, o aluno vai além do aprendizado da língua em si. O educando aprende a se comunicar e como resolver problemas utilizando a mesma.
A grande vantagem da Educação Bilíngue é que, ao estudar em duas línguas, os alunos aprendem um idioma estrangeiro naturalmente. Afinal, o programa fazer parte do dia a dia dos educandos e os aspectos cognitivos e as habilidades socioemocionais são desenvolvidas durante a rotina.
Quais são os ganhos para os alunos?
A possibilidade de estudar em dois idiomas traz maior capacidade de concentração e melhora o desenvolvimento de habilidades de escrita, leitura e fala. Estudar em outra língua ainda auxilia no pensamento criativo, garante mais repertório cultural aos educandos e um maior respeito às diferenças
Começar cedo em uma Escola bilíngue, irá facilitar a aprendizagem de mais idiomas no futuro. Lá na frente, ter o domínio de mais que duas línguas poderá fazer ainda mais diferença na trajetória do aluno.
Além disso, na saúde, o ensino bilíngue proporciona benefícios bastante sensíveis. O cérebro tende a ficar mais protegido contra doenças degenerativas, como o Alzheimer.

Quando colocar a criança em uma escola bilíngue?

Mesmo com todas as vantagens listadas, a idade certa para começar a educação bilíngue não é um conceito fechado. A experiência prática mostra que começar mais cedo é a melhor opção. O motivo é simples: o cérebro das crianças menores possui grande plasticidade, isso significa que têm maior capacidade de aprender e se adaptar a novas situações.

Por isso, o Colégio Universitário inicia o programa bilíngue no C1 da Educação Infantil. A Escola entende que a criança exposta ao bilíngue desde os primeiros anos de vida terá mais facilidade no processo de aprendizagem.

Ainda que no início o aluno possa misturar palavras dos dois idiomas ao se comunicar, com o passar do tempo, ele aprende a organizar a estrutura linguística de ambos os idiomas. Assim, passa a se comunicar perfeitamente nos dois.

Porém a facilidade de aprendizagem nos anos iniciais não quer dizer que uma pessoa só pode se tornar bilíngue, caso seja alfabetizada em duas línguas ao mesmo tempo. Para se tornar fluente em um idioma, existe uma série de fatores, que vão além da idade na qual a pessoa começa a aprendê-lo.

A Educação Bilíngue pode trazer inúmeros benefícios para os alunos, que têm aulas nessa modalidade de ensino. O aprendizado simultâneo de dois idiomas proporciona o domínio de uma língua estrangeira e possibilita o desenvolvimento de competências e habilidades fundamentais para a sociedade de hoje e do futuro.

Pensando nisso, a cada ano, o Universitário aprimora o seu programa, para trazer mais ganhos aos educandos da Escola.