Blog

Geral
Compartilhar:

A aprendizagem fora das salas de aulas

O período de pandemia ainda não acabou. Temos enfrentado desafios nunca imaginados, em todos os níveis da sociedade. Na educação em Londrina, a luta se mostra maior, com as escolas fechadas há quase um ano e sem a perspectiva de uma abertura definitiva.

A frase “quando isso tudo passar, não seremos mais os mesmos” vem sendo dita e repetida diariamente. Realmente, a sociedade mundial não será mais a mesma, entretanto, sabemos que já não somos mais os mesmos. As relações já mudaram. Na família, no trabalho, na escola e na rotina diária, a tecnologia passou a ser uma aliada em nossos dias, resultando, inclusive, em um impacto positivo em vários aspectos.

Os avanços da Educação na pandemia

Porém, a educação não avançou apenas por meio de recursos tecnológicos. O contexto desafiador que vivemos acelerou a reconstrução do processo de ensino e aprendizagem. O forte impacto causado pela pandemia na educação em nosso país atingiu diretamente gestores, professores, alunos e pais.

Conforme diz Horn (2004, p. 36), “o espaço escolar não se restringe às paredes da sala de aula. Os espaços externos são considerados prolongamento dos espaços internos, sendo utilizados por meio de uma perspectiva pedagógica”. Desta forma, proporcionar a diversificação do espaço e o contato com a natureza são ações fundamentais para o bom andamento da aprendizagem.

Por meio deste tipo de trabalho, os alunos estabelecem relações mais próximas com o que estão estudando, trazendo mais significado ao estudo e garantindo um conhecimento mais sólido. Um exemplo é o trabalho com as estações do ano, suas características e peculiaridades. Ambientes com natureza e a céu aberto possibilitam aos educandos fazerem observações das mudanças, que ocorrem com as flores e as árvores plantadas neles.

No Universitário, a aprendizagem definitiva de nossos alunos é o foco. O Colégio sempre olhou à frente do seu tempo e, há alguns anos, observou a relevância de espaços que trouxessem uma aprendizagem mais significativa aos alunos.

Não por acaso, a Escola possui a UniFazendinha, o Espaço do Brincar e outros ambientes abertos e repletos de verde. Para 2021, o Universtário investiu mais e trouxe o Campo Verde, o Espaço da Psicomotricidade e a Sala Maker.

Campo Verde: sonho realizado e infinitas possibilidades

O espaço verde é um exemplo do que há de mais moderno na educação. O novo ambiente de aprendizagem, por muito tempo, foi um sonho da Escola. Neste ano, o projeto saiu do papel e foi construído ao lado da UniFazendinha. Agora, o Colégio conta com mais uma sala de aula a céu aberto, repleta de verde e disponível para propostas ao ar livre.

O Universitário planejou o Campo Verde, com áreas direcionadas para cada segmento. O jardim sensório-motor e lúdico é destinado aos alunos de UniKids e Anos Iniciais (1º ao 5º ano). Nele, as possibilidades de aprendizagem serão múltiplas e imensas. Além disso, a casinha da árvore foi transferida para o local e será utilizada para brincadeiras.

Os adolescentes e jovens também foram lembrados no projeto. O Colégio preparou um espaço exclusivo para eles. O Ensino Médio terá um ambiente de convivência ao ar livre, onde os alunos poderão trocar ideais e passar o tempo. Mais do que isso, os professores terão a possibilidade de realizar aulas ao ar livre, com os educandos do Fundamental Anos Finais (6º ao 9º ano) e do EM.

A Educação Física também aproveitará muito do Campo Verde. Recentemente, esta área do conhecimento foi completamente ressignificada, com olhares para a saúde e a qualidade de vida. No novo ambiente, os professores terão o espaço aberto para trabalhar o corpo, a coordenação motora e, acima de tudo, a imaginação, o sonho e a criatividade. Tudo bem alinhado com este novo olhar.

Projeto multidisciplinar para pintar o muro

O Campo Verde foi construído já com um grande projeto pronto para ser executado. No espaço direcionado aos adolescentes, além de árvores frutíferas, bancos e flores, haverá muita cultura.

Assim que for possível, o Universitário realizará uma ação transversal e multidisciplinar, envolvendo Matemática, Arte, Sociologia, História e Química. Por meio da iniciativa, as turmas pintarão os muros do Campo Verde, tornando o espaço, ainda mais, inspirador para professores e educandos.

Ainda haverá um muro, que funcionará como quadro negro. Nele, a cada semana, uma turma será a responsável, poderá pintar e deixar um recado para o restante do Colégio. A ação tem o objetivo de dar protagonismo e responsabilidade aos educandos. Tudo isso, por meio de uma atividade que as crianças apreciam fazer.

Desenhar, mostrar a arte e ousar em suas produções será possível no Campo Verde. Em sala de aula, muitas vezes, mesmo com o interesse dos alunos e dos professores, tanta criatividade e trabalho artístico não era viável.

Enfim, no Universitário, nossa equipe técnico pedagógica pensa estratégias para que os alunos tenham mais motivação para estudar, aprender e ampliar os seus conhecimentos.

A pandemia serviu apenas para acelerar o uso de espaços externos na construção da aprendizagem no Colégio. A Escola, com os seus 20 mil metros quadrados e diversos ambientes, está preparada para receber os alunos, de forma escalonada e respeitando todos os protocolos de saúde e segurança.

No Universitário, todas as formas de ensino e aprendizagem são trabalhadas e os estudos extrapolam as paredes das salas de aula.